Amizade entre Joan Miró e Alexander Calder é tema da exposição no Rio de Janeiro

Amizade entre Joan Miró e Alexander Calder é tema da exposição no Rio de Janeiro

Escrito em 13/08/2022

Na Casa Roberto Marinho, a exposição “CALDER + MIRÓ” evidencia a ligação dos dois artistas com o Brasil e os desdobramentos na cena nacional
Alexander Calder e Miró
Alexander Calder, à esquerda, e Joan Miró na abertura de uma retrospectiva de Calder na França em 1969. Fotografia de Jacques Robert

Sob curadoria de Max Perlingeiro, o Casa Roberto Marinho inaugurará, dia 19, a exposição CALDER + MIRÓ com cerca de 150 obras de variados suportes e artistas.

Apesar do título fazer referência ao escultor norte-americano Alexander Calder (1898-1976) e ao pintor espanhol Joan Miró (1893-1983), a mostra é expandida ao tratar da relação deles com o Brasil. Sendo assim, a curadoria inclui grandes nomes consagrados e influenciados direta ou indiretamente pelas produções da dupla, como: Abraham Palatnik, Arthur Piza, Antonio Bandeira, Franz Weissmann, Hélio Oiticica, Ivan Serpa, Luiz Sacilotto, Lygia Clark, Milton Dacosta, Mira Schendel, Oscar Niemeyer, Sérvulo Esmeraldo, Waldemar Cordeiro, entre outros.

A célebre e intensa amizade entre os dois grandes modernistas se deu após o primeiro encontro em Paris entre guerras em 1928. Mesmo depois de Calder retornar aos Estados Unidos e a Segunda Guerra Mundial dificultar a comunicação, eles forjam a aproximação e permanecem profundamente envolvidos até a morte do escultor em 1976. Os laços iam para além das afinidades pessoais, afinal as sensibilidades artísticas também são notavelmente semelhantes. 

Joan Miró
Les Coquillages, 1969 – Joan Miró

O curador convidado para o núcleo de expoentes brasileiros em diálogo com as obras de Calder e Miró, Paulo Venancio Filho, comenta: “A abstração para ambos não obedecia a um programa pré-determinado, estava fundada na intuição e na imaginação e, portanto, aberta ao instável. As mesmas características, não por acaso, vamos encontrar na arte moderna brasileira a partir dos anos 1950 que estabelecem nossa contribuição original à abstração geométrica.”

Além da mostra, o projeto da Casa Roberto Marinho contempla um ciclo de conversas com artistas e críticos, projeção de filmes e documentários, e um extenso programa educativo e interativo criado pela equipe de Educação do ICRM com a colaboração de Fernando Cesar Sant’Anna. 

Serviço

CALDER + MIRÓ

Local: Casa Roberto Marinho
Endereço: R. Cosme Velho, 1105 – Cosme Velho, Rio de Janeiro – RJ
Data: De 19 de agosto até 20 de novembro de 2022
Funcionamento: De terça a domingo, das 12h às 18h (entrada até às 17h15).
Ingresso: R$5 – R$10; quartas-feiras grátis e domingos “ingresso família” a R$ 10 para grupos de quatro pessoas.