Coletiva que reflete sobre valorização de patrimônio e memória acontece no MAM Rio

Coletiva que reflete sobre valorização de patrimônio e memória acontece no MAM Rio

Escrito em 13/09/2021

Exposição de longa duração apresenta 300 obras que vêm de acervos de três instituições com diferentes histórias, dinâmicas e projetos: MAM Rio, Museu de Arte Negra/IPEAFRO e Acervo da Laje
Heitor dos Prazeres, Crianças com balão, óleo sobre tela, Rio de Janeiro, 1965

Iniciativa que integra o projeto Legados Vivos, que foi lançado pelo Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM Rio) em julho, a exposição “A Memória é Uma Invenção” fica em cartaz na instituição carioca até o dia 9 de janeiro 2022. A mostra coletiva de longa duração traz 300 obras que vêm do acervo do MAM, do Museu de Arte Negra/IPEAFRO e do Acervo da Laje!

Reunindo três acervos de arte de instituições diferentes, cada qual com suas histórias, dinâmicas e projetos, a exposição busca discutir processos de construção de patrimônio, legado e cultura comum. São obras em diversas mídias, sob curadoria de Beatriz Lemos, Keyna Eleison e Pablo Lafuente. Entre elas estão esculturas, fotografias, pinturas, gravuras e azulejos.

Maria Leontina, Sem título, 1995, série Os enigmas, óleo sobre tela. Coleção Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Restaurado com apoio do Banco Opportunity, 2002

Estão presentes obras de artistas como Abdias Nascimento, Heitor dos Prazeres, Carlos Scliar, Gerson de Souza e Chico Tabibuia (pertencentes ao acervo do Museu de Arte Negra/IPEAFRO), Adilson Paciência, Zaca Oliveira e Indiano Carioca (do Acervo da Laje) e também trabalhos de Anita Malfatti, Inimá de Paula, Lucio Fontana, Maria Leontina e Yara Tupinambá (vindas do acervo do MAM Rio).

“Esta exposição é um desafio a inventar outras configurações do comum desde a instituição. Ela inaugura uma maneira de repensar patrimônio e memória. Um caminho que, longe de compensar as violências do passado, acredita em outras formas de criar memórias que inspirem múltiplas possibilidades de vida no presente e no futuro”, comenta o curador Pablo Lafuente, que também é diretor artística do MAM ao lado de Keyna Eleison. Para Beatriz Lemos, A Memória é uma Invenção tem um importante papel ao trazer a obra e a história de artistas